Choveu na horta

Repercutindo Entrevista do Site: Nada de Zona 4ª Edição! Click aqui e veja no site original!

*******************************************************************************************************************************************************************************

Entrevistas

Nesta edição temos uma entrevista com "choveunahorta".

 

Primeiramente gostaria que o senhor fizesse uma apresentação geral sua, e como conheceu o ManagerZone.

O tratamento de senhor não faz sentido no managerzone, embora realmente seja um senhor de 60 anos.Aqui nascemos todos iguais como dirigentes apaixonados de uma equipe, com as mesmas oportunidades de desenvolvimento do gerenciamento de nossas habilidades naturais, em benefício de nosso time.Dentro do MZ, independente de idade, cultura, história de vida ou qualquer outro parâmetro da vida real, sou o choveunahorta, um apaixonado pelo mz, exatamente igual a você felipekm.

Saindo da órbita do MZ, Fernando Mateu é um senhor de 60 anos, casado,3 filhos, um neto e um cachorro, espanhol nascido em Barcelona, engenheiro eletrônico formado pela FEI em 1972, que tem uma pequena empresa que desenvolve e implementa projetos de segurança de grandes redes corporativas de telecomunicações.

Conheci o MZ através de meu filho Fernando.Observei que ele chegava à noite em casa e rapidamente se apropriava do PC da família na época(2004), ficando na frente de uma tela verde durante meia hora aproximadamente.A curiosidade e preocupações de pai sobre o que é que estava prendendo a atenção do meu filho, fez com que conhecesse o managerzone e criasse minha equipe.

A paixão foi instantânea e nasceu o CHOVEU NA HORTA, que mais tarde se tornou 4EVER.

 

Como o senhor veio a se tornar GA do managerzone?

Não devo ser o mais adequado para responder essa questão. Quem tem a responsabilidade pelo suporte deve ter entendido que eu tinha alguma qualidade que poderia ser útil nas funções de responsabilidade de um GA.De minha parte foi uma honra receber o convite e um prazer especial poder aceitá-lo.

 

Agora irei para alguns ''comentários'' que ouvimos sobre o senhor.

É verdade que o senhor já recebeu convite para trabalhar no jogo?

Creio que foi no começo de 2006 que o felipao esteve em São Paulo e tivemos a oportunidade de conhecer o dirigente que já era, naquele momento, uma lenda e referência para a grande maioria dos dirigentes brasileiros, eu incluído, certamente. No encontro que tivemos, em que estiveram presentes dez ou mais dirigentes paulistas, com direito a um jantar na Pizzaria Speranza em Moema, conversamos muito sobre MZ, como é natural, e sobre as trajetórias de vida de cada um, criando um relacionamento mais próximo.

Começamos a desenvolver um projeto para fazer do Brasil a sede do WC2007.Durante esse processo, felipao agendou-me uma reunião em São Paulo com Sten Koritz, naquele momento Vice-Presidente da empresa e responsável pela operação na América Latina.Esse encontro aconteceu lá por outubro de 2006 e, para minha surpresa, Johann, criador do MZ e presidente do grupo managerzone estava presente para esse encontro.

Foi um encontro longo, de umas 4 horas, em que todos os assuntos relacionados ao MZ foram debatidos com franqueza e cordialidade.

Da parte deles buscaram explorar ao limite minha visão de usuário, buscando melhorias para o jogo. Discutiram cada uma das sugestões e anotaram todas as observações.Sou testemunha de que tudo o que foi sugerido, com o tempo foi implementado.Algumas das melhorias que vieram nas temporadas seguintes nasceram nessa reunião.

De minha parte coloquei em discussão a possibilidade de tornar o Brasil sede do WC2007. Foi aceito e todos os passos necessários para concretizar a proposta foram agendados e cumpridos, fielmente.

Com o apoio incondicional do felipao, Sten e dos dirigentes mais próximos a mim, pudemos fazer a festa do WC2007 no Brasil.

A parte final desse encontro teve uma série de especulações de algum tipo de relacionamento mais profundo com o managerzone, que não houve possibilidade de levar adiante, porque naquele momento estava totalmente envolvido em projeto de trabalho que me fazia viajar muito pela América do Sul, inviabilizando totalmente qualquer convite.

 

Ouvi de alguns amigos um fato de em um encontro o senhor ter ''narrado'' um lance antes de acontecer, caso seja verídico, nos explique este fato.

É verídico, aconteceu na final do WC2010 vencido pelo Brasil, mas o fato está superdimensionado.

O que ocorreu é que tínhamos 2 táticas com formações defensivas distintas mas com a mesma formação de ataque e meio campo.Tínhamos conseguido um ajuste tão perfeito, nos mínimos detalhes, do meio campo e ataque, que já sabíamos a movimentação de todos os jogadores e como a bola se deslocava até a conclusão.Houve um jogo na fase de grupo ainda, contra a Turquia, em que a qualidade desse ajuste nos permitiu fazer dois gols absolutamente iguais, ambos em saída de bola, após tomar gol do adversário.O jogo ainda pode ser encontrado e visto, vale a pena, garanto.

O que ocorreu é que durante o jogo final contra a Romenia, quando a bola chegou ao jogador que iniciava a jogada, que era o meia central, Nuno Amorin, eu já sabia o desenvolvimento completo da jogada, com o passe para o atacante aberto na esquerda, que ia atrair a defesa e cruzar para o atacante aberto na direita, que se conseguisse bom domínio da bola já chutaria a gol, ou se ela escapasse um pouco rolaria para o atacante central para a conclusão.Como o jogo estava muito equilibrado naquele momento acabei me empolgando e meio que ordenando que cada um fizesse o que era esperado até a conclusão da jogada.Como era um encontro com mais de 50 dirigentes presentes para assistir a final da copa do mundo, essa torcida pela jogada correta acabou ganhando mais repercussão do que merecia.

 

O senhor foi recentemente vencedor da U23 Club Continental South America - Edition 1, e reparei que seu time possui uma grande quantidade de jogadores novos, gostaria de saber como é a forma que os treina, e se possível mostre alguns deles.

 

Meu método de formação de jogadores é baseado em dois filtros que aplico aos juvenis que chegam à minha equipe.

O primeiro deles é basicamente visual.Os jogadores com mais bolinhas nos atributos principais terão sempre preferência sobre os demais.

Considero nessa análise passe curto,desarme,inteligência,chute,controle de bola e defesa a gol.

O segundo é baseado na observação do aproveitamento de treinamento desses jogadores.

Se foi aprovado no primeiro filtro, coloco para treinar um dia em cada atributo e, se o rendimento for 100% em todos os atributos testados, sei que aquele jogador, que tem mais bolinhas úteis que os demais ,  vai treinar sempre com ótimo aproveitamento.A conclusão é que além de ter mais bolinhas que os outros, ele também vai ganhar bolinhas mais rápido que os demais ao longo de toda a sua carreira, logo, é nele que vou concentrar os esforços e as vagas do campo de treinamento.

A mesma lógica se aplica a qualquer jogador de qualquer idade.Se ele tem mais bolinhas que a média dos jogadores da mesma idade e  aproveitamento superior a estes no treinamento normal, tem sempre prioridade para o campo de treinamento, para acelerar ainda mais o seu desenvolvimento, formando um jogador especial para o time ou que possa alcançar bons preços no mercado de transferência, ajudando dessa maneira no gerenciamento das finanças e no crescimento da riqueza da equipe.

Segue o link com meus jogadores entre 21 e 25 anos.

http://www.mzplus.com.ar/p?id=BfozGw7

 

Além deles tenho os juvenis e profissionais entre 18 e 21 que são treinados para alcançarem o mesmo nível desses e jogadores mais velhos, que são comprados e vendidos durante a temporada, para darem equilíbrio à equipe na disputa dos jogos oficiais.

 

Voltando ao assunto de táticas, em fóruns, comunidades, chats de msn quando falamos sobre táticas o seu nome é o mais citado por dirigentes mais antigos, sobre ser muito bom em trabalhar com elas, poderia nos dar uma ''breve aula'' de como montar uma?

Como o senhor estuda o simulador?

Vou aproveitar as duas perguntas para uma resposta mais extensa pois as duas coisas se interligam.

É importante entender que o simulador é uma equação repleta de variáveis e bastante complexa, envolvendo dados que conhecemos, como atributos dos nossos jogadores e a  tática que  setamos, além de outros que não sabemos, como peso ponderado de cada atributo, limites de movimentação horizontal e vertical dos jogadores e ainda outros sobre os quais apenas podemos especular como influência de transferências, ranking da equipe, situação financeira,fator oculto dos jogadores e outros tantos detalhes que vez por outra são colocados em discussões acaloradas e interessantes, que mais parecem exercícios de teorias da conspiração.

A representação amigável do conjunto de cálculos resultante das variáveis envolvidas na fórmula do simulador é o que vemos nos Analyzer ou 3D e é através da observação deles que podemos tirar nossas conclusões de como se reflete na movimentação dos jogadores e no desenvolvimento da partida.

Antes de falar especificamente sobre “fazer uma tática”, vou detalhar alguns macetes que podem ser observados por qualquer dirigente para melhorar o aproveitamento da equipe, em qualquer tática.

Na minha equipe eu tenho 2 ou 3 táticas padrão que são confiáveis para a disputa de ligas de amigos e fases de grupo de copas.

Para os jogos de LO e da fase de playoffs de copas é que entra o estudo tático de fato, para maximizar os pontos fortes da equipe e explorar eventuais fraquezas do adversário.Encontrar essas fraquezas é muito importante e, geralmente, decisivo para vencer.

Uma maneira interessante e prática de identificar pontos fracos está na observação dos jogos do adversário no Analiser.

Abro um jogo equilibrado escolhido do meu adversário e observo a movimentação dos jogadores, principalmente de defesa dele, para ver quais são os que se perdem na movimentação, demonstrando que tem menos inteligência que os demais.São jogadores para explorar durante o jogo.

Quando o jogo chega ao intervalo vem a observação mais importante, pois quando os jogadores vão para o vestiário é possível ver claramente quais são os que sentiram mais o jogo por terem pouca resistência ou menos inteligência, que os obrigou a correr mais que os demais.Se houver algum jogador com pouca inteligência e resistência ao mesmo tempo, dá pena de vê-lo ir para o vestiário.

Então, a observação de 45 minutos de um jogo equilibrado do adversário fornece muita informação útil sobre suas fraquezas.Se elas forem bem exploradas, aumentamos a chance de vencer.

Outra medida importante para vencer um jogo importante implica em entender os “cacoetes” táticos do seu oponente.O estudo dele vai mostrar qual é a tática em que ele gosta de jogar, que é a que lhe dá mais vitórias e o melhor jogo.Ele também vai te estudar, louco de vontade de poder jogar com essa tática, que é a sua preferida.

Nossa função nos dias que precedem um jogo importante é colocar nosso time para jogar em táticas que possam dar conforto ao nosso adversário, que ele olhe para o nosso time e pense:

“Olha que legal, perfeito para a minha tática de fé!”

Isso nos dá a possibilidade de preparar a contra tática perfeita, pois fizemos tudo que estava ao nosso alcance para induzir o adversário a jogar como ele prefere.Excelente.As chances de vencer aumentaram exponencialmente.

Quanto a montar uma tática específica, os conceitos para um time top e um médio de div 4,5 ou 6 são completamente diferentes e vou concentrar nas divisões médias para a explanação.

No geral os jogadores das equipes dessas divisões são ainda incompletos e possuem deficiências no seu desenvolvimento, naturais, em passe e inteligência, o que faz com que haja um índice de acerto de passes baixo, o que indica que devemos ter uma tática que priorize o domínio das bolas perdidas, mais do que o combate direto para roubar a bola.Na prática o que significa isso?

Significa que os defensores não devem ficar colados nos atacantes,mas próximos, em condições de chegarem antes nas bolas passadas defeituosamente e dando combate apenas quando o passe for correto.Jogando normal, evitando o agressivo, que induz o defensor a tentar se antecipar, o que é desnecessário, já que a imensa maioria dos passes não será perfeito.Esse conceito vale para a defesa e o meio campo, pois deve nos dar a posse de bola, aumentando uma vez mais as chances de vencer.Para organizar o ataque vai valer muito a observação das fraquezas do adversário que comentei antes.

Onde houver um zagueiro que observarmos que destoa na movimentação ou que se arrastou para o vestiário, coloque seu melhor atacante perto dele e deixe que o simulador faça o resto do serviço!!

A tática do teu adversário é que vai fazer com que vc disponha os seus jogadores em campo, observando esse conceito geral de dominar as bolas perdidas.

 

Em alguma oportunidade já teve vontade de parar de jogar Mz, ou sair do suporte? e se a resposta for afirmativa, até onde for possível nos diga o porque.

Quanto ao suporte, estou nele há pouco tempo e satisfeito por dar minha contribuição para que se tenha um jogo justo em que os usuários possam ter bons momentos.

Quanto ao jogo confesso que essa idéia de parar ou diminuir em muito minha participação nele é cada vez maior.

Vocês são mais jovens e talvez não entendam o que vou dizer.

O casamento para mim foi e é uma experiência fantástica, com anos de namoro constante até o nascimento dos filhos.Depois veio uma fase longa de doação a eles e o namoro vai pouco a pouco tornando-se uma lembrança distante.

Hoje meus filhos tem vida própria, são donos dela e está chegando o momento de voltar a namorar minha esposa, aproveitando ao máximo a maturidade que alcançamos.

Não acredito que haja espaço para o MZ quando esse dia, que está perto, chegar.

 

Pelo fato de o senhor ser um dos mais experientes tanto em tempo de jogo como em idade, como é relaçao entre o jogo e sua vida pessoal(familia/trabalho).

Involuntariamente acabei respondendo acima. Não tenho nada a acrescentar ao que escrevi.

 

Qual seu maior arrependimento no jogo e a maior conquista?

Arrependimentos não tenho.O MZ me permitiu fazer grandes amigos reais, que fazem parte do meu cotidiano e são a maior conquista que fiz nele, juntamente com a oportunidade que tive de coordenar e fazer parte da comissão técnica que conquistou para o comunidade brasileira do MZ todos os títulos que disputou com a nossa seleção.Tenho muito orgulho da maneira democrática com que alcançamos esses resultados, que permitiu que essa conquista fosse realmente de todos.

 

Agradeço muito por sua entrevista Fernando, sei que ela será muito bem aprovada por todos os usuários do mz, e peço que deixe aqui um recado aos leitores da revista, podendo ser sobre táticas, suporte, ou o que o senhor achar melhor.

Finalizando, quero parabenizar a iniciativa de vocês.Estão ocupando esse espaço com um trabalho de muito mérito. Foi um enorme prazer atender o pedido e uma grata surpresa encontrar questionamentos novos, que mostraram um cuidado de pesquisa sobre a minha trajetória no MZ, permitindo perguntas de grande qualidade que me abriram espaço para deixar algo útil para seus leitores.

 

Muito obrigado!

 

 

Deixe seu comentário!

Não foram encontrados comentários.

Novo comentário